Hidrologia

 

Albufeira e Barragem do Monte da Rocha
 
A Barragem do Monte da Rocha fica situada no Baixo Alentejo, no concelho de Ourique, perto da localidade de Panóias. Construída sobre o leito do Rio Sado, esta barragem entrou em funcionamento em 1972. A sua utilização é predominantemente agrícola.
 
Observação de aves na Barragem do Monte da Rocha
 
Perdida na parte ocidental do Baixo Alentejo, a barragem do Monte da Rocha tem merecido pouca atenção por parte dos ornitólogos. Contudo, esta zona tem um potencial ornitológico que merece ser destacado. 
 
Espécies mais interessantes:
Frisada, mergulhão-de-crista, peneireiro-das-torres, perdiz-do-mar.
 
Outras espécies:
Pato-real, mergulhão-pequeno, garça-boieira, cegonha-branca, milhafre-preto, tartaranhão-caçador, águia-calçada, galeirão-comum, sisão, pernilongo, abelharuco, poupa, chasco-ruivo, fuinha-dos-juncos, pega-azul, pardal-espanhol, trigueirão.
 
Visita:
Partindo de Ourique, toma-se a estrada nacional 123 em direcção a Odemira. Ao longo desta estrada existem, do lado esquerdo, diversos ninhos de cegonha-branca que merecem ser inspeccionados, pois servem de suporte à nidificação de diversos casais de pardal-espanhol, que aqui se misturam com o pardal-comum. A concentração mais interessante situa-se entre os km 53 e 52. Também do lado esquerdo aparece um pequeno açude, observável a partir da estrada, que é frequentado por frisadas, pernilongos e outras aves aquáticas. Prosseguindo pela estrada e virando à direita no primeiro cruzamento (EN 264-1), rapidamente se chega ao paredão da barragem, a partir de onde se obtém uma boa perspectiva sobre a albufeira.
Durante a época de nidificação é habitual observar aqui o mergulhão-de-crista, a frisada, a perdiz-do-mar e o diversas espécies de fringilídeos.
 
 
 
Prosseguindo pela EN264-1, um pouco mais adiante (ao km 24) existe um viaduto sobre a via férrea (onde por vezes se observa o chasco-ruivo). Ao chegar ao km 23 pode virar-se à esquerda por uma pequena estrada que conduz à estação ferroviária de Panóias. O edifício da estação, actualmente devoluto, possui um magnífico terraço, a partir de onde é possível ver os terrenos circundantes e que constitui um excelente local para observar aves. A paisagem envolvente é dominada por pastagens e aqui é possível observar o peneireiro-das-torres, a águia-calçada, o sisão e o abelharuco, bem como algumas espécies de passeriformes.